3 boas razões de fugir ao tampão e ao penso descartável

“Serias capaz de me dizer exatamente a composição de um tampão ou de um penso higiénico?” essa pergunta foi-me feita por uma amiga quando abordamos pela primeira vez, em 2012, o assunto dos disruptores endócrinos.


Boa pergunta, nunca me tinha questionado sobre a fabricação de tampões e de pensos higiénicos.

Uma pergunta também complicada porque este detalhe não figura na embalagem de proteções higiénicas.


50% da população mundial são compostas de mulheres, a grande maioria usa tampões, diários ou pensos higiénicos durante a sua menstruação.

Porquê tão pouca informação sobre produtos de higiene para a nossa intimidade?


Simplesmente por que por de trás destes produtos de “higiene” encontramos um mega cocktail de substâncias nocivas para nossa saúde e para o ambiente.


Os tampões e os pensos higiénicos são-nos vendidos como produtos que respeitam a nossa zona mais sensível e mais íntima do nosso corpo, mas a composição está em falta. As poucas coisas que conhecemos sobre estas proteções que protegem a nossa intimidade não são muito divertidas...



Ok já encontramos o nosso ponto 1 para este artigo!



1. Composição mantida em segredo pelos fabricantes


Quando vamos às compras, podemos escolher a qualidade dos nossos produtos alimentares pela lista dos ingredientes utilizados para sua fabricação. Não é o caso para as proteções higiénicas íntimas. Aconselho-te a dar uma vista de olho ao post Pensos higiénicos descartáveis e tampões = Perigo! , que explica o fato que até hoje nenhuma lei exige que os fabricantes indiquem a composição das proteções descartáveis femininas.


A maioria dos componentes são de matérias sintéticas, plásticas e de algodão. As duas primeiras são poucas ecológicas e não recicláveis. O algodão provém de uma cultura muito poluente onde são utilizados pesticidas e água em grande quantidade. As outras matérias de origens naturais passam por diferentes etapas de transformação antes de poderem ser usadas, utilizando também de grandes quantidades de água.


O último grande processo das fibras antes de ser transformadas em tampões e pensos higiénicos, é o branqueamento. Para as proteções higiénicas íntimas corresponderem à imagem de uma higiene impecável, as fibras vão adotar uma cor branca graças ao cloro. Notar que o cloro deixa resíduos de dioxina.



Resíduos tóxicos encontrados


Estudos foram efetuados nas proteções menstruais descartáveis, os testes revelam residios de pesticidas, dioxinas, ftalatos, … Na marca biológica Organyc, foi encontrado glifosato.

A associação, 60 millions de consommateurs, conseguiu adquirir através dos fabricantes a lista das matérias primas (em FR) de algumas marcas de proteções menstruais.

A associação considera que nenhuma dessas substâncias devem estar presentes nos produtos de higiene íntimos. Ainda mais que alguns componentes foram reconhecidos como disruptores endócrinos que tem a característica de agir em pequenas quantidades.


Também é aconselhado evitar os produtos de higiene perfumados, coloridos ou com desenhos. Ainda não se conhece os aditivos utilizados para o fabrico desse tipo de proteções menstruais.

Acredito que não seja de uma grande importância se não tivermos bonequinhos no fundo da nossa cuequinha, feitos com substâncias que podem ser alergénicos ou pior ainda, sem real utilidade.



2. Reduzir a nossa pegada ecológica


O impacto dos descartáveis ​​é enorme. Em causa, o seu uso único e de curto prazo (de 4 a 8 horas). Sendo necessário produzir uma grande quantidade, que gera também uma grande quantidade de resíduos. Principalmente porque esses produtos não são reciclados, apesar da grande quantidade de plástico.


13 vezes por ano, 520 vezes numa vida, precisamos de uma proteção menstrual. A maioria das mulheres opta para o descartável. Pelo site Planetoscope Conso Globe conseguimos ver o consumo mundial só de pensos higiénicos descartáveis.



São 1447 pensos higiénicos utilizados cada segundo num mundo, a quantidade de lixo produzido é simplesmente gigantesca.

Depois de uso, os pensos e tampões terminam em aterros, atirados em plena natureza, nos rios ou ainda nos oceanos.



Em 2009, Ocean Conservancy recolheu mais de 24’600 tampões nas praias.

Isso dá vontade de mergulhar, não é?



Lembrete:

  • O penso higiénico descartável demora entre 500 e 800 anos para se decompor,

  • Animais marítimos consomem lixo pensado que são peixes, e essas ingestões podem bloquear o sistema digestivo, causando a sua morte.




3. Fazer economias


Produtos de higiene de usagem única terminam por custar caro. Uma mulher pode gastar durante a sua vida mais 1’800 euros para suas proteções menstruais.

Se quiseres, descobrir quando gastaste até hoje, podes fazer o cálculo no site da BBC ( )

Se optares para uma proteção reutilizável como o copo menstrual, por exemplo, podes economizar até 45 euros por ano!


Picture "60 Millions de consommateurs"

Alternativas


Os tampões e pensos descartáveis são as proteções higiénicas mais utilizadas pelas mulheres e, no entanto, não estão isentas de consequências para a saúde e para o planeta.


A grande maioria das mulheres (60%) está a demonstrar um interesse crescente no uso de uma proteção íntima reutilizável e 20% delas já a utilizam.

Esses números, provenientes de uma pesquisa nos Estados Unidos, demonstram que mesmo as mulheres que vivem numa sociedade fortemente marcada pelo tabu do período menstrual mostram uma preocupação ecológica com seus problemas íntimos.

Girl, estamos no caminho certo!




Se quiseres fugir (e com razão), das proteções descartáveis, encontra a solução que te corresponde melhor nestas diferentes alternativas:



Copo Menstrual


O copo menstrual (Cup) é um dispositivo em silicone flexível de qualidade médica que inserimos na vagina durante o ciclo menstrual, ela recolhe o sangue menstrual.


O silicone é uma matéria inerte, hipoalergénico e sem poros abertos para alojar bactérias e sem petróleo; pelo que até as mais sensíveis poderão usá-lo.


O Copo menstrual não é absorvente, por essa razão não irrita os tecidos da mucosa vaginal e não modifica a flora vaginal.





Penso Higiénico Reutilizável


O penso higiénico reutilizável parece-se com um penso normal; existe também em diferentes modelos, 5 para ser exato, mas é muito mais do que i sso.

Além de ser bom para o planeta é excelente para a sua saúde pois previne qualquer desconforto devido as suas características 100% orgânicas.


Algodão biológico certificado GOTS