Óleos essenciais são mesmo ecológicos?



A mudança para um estilo de vida sustentável, adotando reflexos zero lixo nos leva rapidamente a busca de soluções mais naturais. Os óleos essenciais (OE) fazem parte. Decidi de escrever este artigo por que existem muitas fontes que aconselham a utilização de óleos essenciais (sem informar sobre os cuidados a ter na utilização) para combater ou perfumar não sei o que.


O que é paradoxal é que elogiamos as virtudes dos OE, como substâncias eficazes para substituir medicamentos e pelo outro lado banalizamos estes preciosos líquidos usando como e quando queremos. Se as propriedades são tão potentes, não é um pouco estranho usá-los para escovar diariamente os dentes, lavar a roupa, a loiça, perfumar o interior de casa ou ainda usá-los como creme diário?



Isso leva-me a perguntar-te se conheces o impacto ecológico dos óleos essenciais?


Nós, nunca usamos óleos essenciais nos nossos detergentes. Já estamos rodeados de cheiros no nosso cotidiano. Porque esconder o cheiro tão agradável do sabão? Aqui, nós gostamos deste cheiro e também, adoro o nosso verdadeiro odor corporal. Além disso, não quero submeter o meu corpo diariamente sob efeitos terapêuticos dos OE sem razão particular.

É como se cada dia, estava a por um pouco de anti-inflamatório no cházinho, antiviral no meu sabão e mais uma gota de antifúngico no meu creme hidratante. Isso pode levar a um outro problema, que veremos mais abaixo.



Em casa, o óleo essencial é unicamente para uso terapêutico, para curar as nossas doenças, desinfetar uma ferida ou aliviar as dores. Na realidade é a verdadeira função dos óleos essenciais!


Se usas regularmente os óleos essenciais para fabricar os teus produtos cosméticos e os teus detergentes caseiros; acredito que eles devem combinar perfeitamente com os teus gestos naturais e ecológicos.

Claro! O perfume é sempre melhor que estes perfumes químicos e outros medicamentos sintéticos, não achas?




E de qualquer forma, os óleos essenciais são naturais, logo ecológicos, não?


Heu… não é bem assim…


Da produção a sua utilização, os óleos essenciais não são tão verdes como imaginas e tem um real impacto no ambiente. A produção mundial explodiu nestes últimos anos! Uma realidade económica que não é sem consequências ecológicas. Vou explicar porquê!



Natural, não significa sem risco


Certo, alguns óleos essenciais são "biodegradáveis" e naturais, mas não podemos esquecer que são concentrados muito fortes de plantas.

Os óleos essenciais são altamente concentrados e podem ser irritantes, tóxicos e agressivos para peles e vias respiratórias. Por esta razão que alguns não são aconselhados a pessoas asmáticas, a mulheres gravidas ou crianças.


Por exemplo, 1 gota de óleo essencial camomila romana represente o equivalente de 10 infusões fortes!

Como todas substâncias terapêuticas ativas, os óleos essenciais representam risco para nossa saúde. Usar cosméticas com óleos essenciais (sabões, champô, desodorizantes,..), na alimentação, para perfumar o interior da casa, curar-se com óleos essenciais, fazer a loiça com um detergente caseiro de limão,… vais submeter-te aos efeitos dos óleos.


Mais usamos diariamente ou em grande quantidade os óleos essenciais, mais os riscos de subexposições aumentam e podes ultrapassar o limite de tolerância. O risco é de provocar uma intoxicação, ter problemas de irritações ou de queimaduras da pele ou nas mucosas, como o risco de hepatotoxicidade, de neurotoxicidade e de aborto espontâneo.


Ameaça para o ambiente


Uso os óleos essenciais desde a minha infância e estou impressionada pela actual loucura dos óleos essenciais. Loucura por que ainda à poucos anos, perguntava-me: OE mas o que é isso? Tens a certeza que isso cura mesmo? OE é um placebo,…etc.


Hoje, o óleo essencial está presente nos nossos detergentes! Obviamente, os OE viram na moda e isso não passou despercebido dos profissionais de Marketing, um detergente que cheira limão vende muito mais que um com o cheiro a sabão! Isso também causa um outro problema além da saúde…


Conheces o percurso dos óleos essenciais a partir do momento que vai para águas usadas?


Os óleos essenciais não se diluem na água e não são filtrados pelo as estações de tratamento de águas. As gotas de óleos essenciais dos nossos sabões, detergentes,… vão continuar o seu percurso e vai ser rejeitado no ambiente.

O problema é que os óleos essenciais são nocivos para o ambiente. Particularmente para a flora aquática, ele é reconhecido como um perigo crônico ou agudo.


Por exemplo, o jasmim e o limão são classificados com “muito tóxicos para os organismos aquáticos, causando efeitos nefastos ao longo prazo”

É importante de excluir o uso de óleos essenciais dos detergentes que serão rejeitados nas águas usadas para não terminar no ambiente natural, como por exemplo: detergente de roupa, de loiça, pasta de dentes,….



Gulosas em recursos naturais


Sabias que a produção dos óleos dos nossos fraquinhos necessitam muito, mas muito recursos naturais? Alguns exemplos.




Para obter 1 kg de óleo essencial, precisas de:

  • 130 kg de flores de lavanda = OE lavanda

  • 2000 laranjas = OE de laranja

  • 4 toneladas de pétalas de rosas de Damas = OE de rosa de Damas



Ok é menos impressionante quando fazemos os cálculos para um frasco, mas mesmo assim, os números são enormes! A quantidade para coletar 10 ml de OE varia consoante a espécie, mas necessita sempre de uma grande quantidade de matéria -prima vegetal.

Muito trabalho para mãe natureza!


Sem falar dos modos de produção intensivas, pesticidas, solventes nocivos utilizados no momento de extração, a importação massiva de países onde a mão de obra é barata, o transporte (algumas vem do outro lado do mundo!), a desflorestação, a monocultura e as condições de trabalho…


Hummm… pensado bem, é uma pena de desperdiçar os óleos essenciais para fazer a limpeza da casa, não?



Sabias que…


🐸 Adicionar um óleo essencial nos seus detergentes líquidos não serve a nada, por que o OE é hidrofóbico, ele não se mistura na água ou no vinagre.


🐸 Os óleos perdem as suas propriedades com o calor, então aproveitar dos seus efeitos terapêuticos na cozinha ou quando fazes uma máquina de 40ºC , é um pouco complicado…




Conclusão


Privilegiar os óleos essenciais como remédios naturais. Tendo sido educada com homeopatia e óleos essenciais que uso para desinfetar uma ferida, para prevenir e curar as doenças ou aliviar uma dor.

Mesmo assim, hoje, tento diminuir a nossa exposição aos óleos e substituir cada vezes mais pelas águas florais ou infusões na minha rotina de higiene. Menos potentes, mas eficazes.


Para os detergentes, como deves ter reparado nas nossas dicas ou receitas, nunca usamos óleos essenciais. Os nossos detergentes com sabões, cheiram sabão!



Como escolher um óleo ecológico de qualidade?


  • Óleo essencial biológico, ou de um pequeno produtor que respeita o princípio de uma cultura ecológica sem pesticidas,

  • Produzido em Portugal; mais a produção é local mais a pegada ecológica é reduzida,

  • Alternativas locais aos óleos essenciais exóticos, muitos óleos exóticos podem ser substituídos pelo um óleo mais local (Portugal/ Europa).



Alternativas


  • Nas tuas preparações cosméticas, substitua a água pelas infusões, as águas florais ou os hidrolatos que são menos concentrados, mas que também são ricas em propriedades!

  • Na tua alimentação, utiliza plantas ou frutas em vez de óleos essenciais,



  • Reserva os teus óleos essenciais para o seu real objetivo: te curar!

Os óleos essenciais são uma verdadeira bomba de moléculas químicas com propriedades muito potentes! Acompanha a sua utilização por um medico naturopata, fito ou aromaterapeuta. Os óleos essenciais são remédios potentes e eficaz a usar sempre com precaução.


Não hesite em partilhar a tua opinão,

Até breve,

Eve




Fontes